Print
Category: Latest News
Hits: 1014

Na semelhança de milhares de cabo-verdianos, há onze atrás embarcaram-se na árdua tarefa chamada "emigração". Escolheram os Estados Unidos da América. São irmãos, primos e amigos e formam a Banda musical "CV BOYS BAND". Recentemente lançaram o primeiro álbum "Un So Korasaun" depois de muito sacrifício. Mas, hoje a banda vai fazendo "história" nos EUA. Afinal, a música é universal.
AFROWAVE: Olá CV BOYS BAND, bem-vindo à afrowave....
CV BOYS BAND: Olá ... é um prazer enorme estar na afrowave.

AFROWAVE: Nos nossos dias, não se vê muitas pessoas formando bandas musicais. Como surgiu a ideia de constituir uma banda?
CV BOYS BAND: A formação deste grupo foi mesmo engraçado porque quando escolhemos o nome CV Boys Band nenhum elemento do grupo sabia tocar. A nossa intenção era somente preencher o nosso tempo livre porque na altura que chegamos de Cabo Verde em 1995 havia muita violência. Eu e o meu irmão decidimos aprender a tocar para que pudéssemos ficar mais tempo em casa.

AFROWAVE: E onze mais tarde --- lançam o vosso primeiro álbum?
CV BOYS BAND: Já Fizemos o lançamento do nosso primeiro disco nos Estados Unidos e somente agora e que o nosso álbum chegou à Europa e ao Cabo Verde. Isso foi devido à falta de ajudas dos nossos distribuidores e então decidimos fazer todas as distribuições usando os nossos próprios meios. E também eu estou a trabalhar muito para atingirmos alguns mercados que talvez nunca tinham escutado as nossas músicas. O exemplo disso é de termos conseguido colocar as nossas músicas em lojas americanas tal como o Best Buy, Target, Circuit City, iTunes e mais...

AFROWAVE: Muito bem! E quem são os elementos da CV BOYS BAND?
CV BOYS BAND: São Filomena Gomes, Domingos Gomes, Manuel Gomes, Benjamin Alves, Mateus Soares, Luís Gonçalves, António Darosa, José Darosa, e Francisco Évora. Somos uma família bem grande composta de três irmãos (Gomes), dois irmãos (Darosa), um primo (Gonçalves) e os restantes são os nossos melhores amigos.

AFROWAVE: Como surgiu a ideia de lançar este álbum havendo tantas pessoas envolvidas? Foi difícil organizar todas estas pessoas à volta do projecto?
CV BOYS BAND: Não foi tão difícil conseguir ideias para gravar porque os três irmãos moram na mesma casa. O Manuel tinha um estúdio ali e foi lá que criaram tudo, mas por ser o primeiro disco, não sentíamos a confiança de terminar e foi nessa altura em que decidimos procurar um estúdio onde normalmente gravam todos outros cabo-verdianos. Foi ai que começou o problema e foram precisos aproximadamente sete anos para terminar porque todos os estúdios que procurávamos davam-nos desculpas. Mais tarde encontrámos o Frantz que é um Haitiano quem nos ajudou e depois Grace Évora (bateria) e Djoy Delgado (mixagem) ambos do Splash nos ajudaram com a finalização do trabalho.

AFROWAVE: Como se sentem com este primeiro álbum?
CV BOYS BAND: Foi como uma coisa mágica porque todos os dias recebemos reacções positivas sobre a nossa música. Por exemplo, acabámos de assinar um contracto para a distribuição da nossa música em toda a América e noutro dia a nossa música estava a ser tocada em estações das rádios americanas. E mais: recentemente, as nossas canções têm sido escolhidas como o "Track do dia" (canção do dia). Estas são coisas que nem sequer sabemos explicar!

AFROWAVE: Que bom! E onde pensa ir o grupo a partir deste momento --- que objectivos imediatos?
CV BOYS BAND: O nosso objectivo é de tentar ultrapassar as barreiras que existem à volta da nossa música. Muitas vezes já escutei as pessoas a dizer que a nossa música nao vai muito longe. Mas, o CV BOYS Band quer fazer tudo não só para mostrar às pessoas que estão erradas, mas também para abrir caminhos aos outros para que conjuntamente possamos mudar as mentalidades da nossa gente. A título de exemplo, estamos neste momento numa competição de bandas na qual o CV BOYS Band é o único grupo cabo-verdiano no meio de 65 outros grupos, na sua maioria bandas de Rock & Roll. Ultrapassamos as primeiras duas fases e agora estamos na semifinal regional da eliminatória. Isto só para lhe mostrar que a nossa música pode ser apreciada pelos outros.

AFROWAVE: Parabéns por isso! Neste caso, perguntaria quem são as vossas audiências?
CV BOYS BAND: Muito obrigado! As nossas audiências são diversas e até podemos dizer que há mais americanos que sabem da nossa musica que os próprios cabo-verdianos da nossa comunidade!

AFROWAVE: Qual terá sido a razão para tal?
CV BOYS BAND: A razão é que muitas vezes vamos para uma loja cabo-verdiana de músicas e pedimos para colocarem os nossos CDs, posters e outros produtos que servem para a nossa promoção, mas eles nos dão desculpas. Pelo contrário, quando vamos para as lojas americanas eles mostram todo o interesse em nos ajudarem e dão-nos a oportunidade de mostrar que podemos aprender e crescer ao mesmo tempo.

AFROWAVE: É pena que isto esteja a acontecer convosco... mas força e coragem nesta tarefa árdua e magnifica que estão a desenvolver em prol da música de CV e africana ... Para terminar, gostaria que me caracterizasse o tipo de música que a banda pratica. Em suma, como classifica a vossa música?
CV BOYS BAND: Tentamos praticar todos os estilos da música porque só assim teremos uma ideia mais concreta sobre como produzir o nosso estilo próprio. As nossas musicas são uma mixagem do que já temos em Cabo Verde com os estilos baseados em Coladera, Funana e Zouk Love.

AFROWAVE: Desejamos-lhes a melhor sorte na vossa carreira musical e boa sorte na promocao do vosso álbum "Un So Korasaun".
CV BOYS BAND: Muito obrigado a todos vocês em Afrowave por nos dar esta oportunidade de dizer um pouco sobre nós. E Obrigado por serem um dos poucos meios da comunicação social a dar-nos esta oportunidade.

Entrevista e edição: Umaro Djau